Anunciando vida, levando salvação!!

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Preconceito religioso ao noticiar suposto envolvimento da Assembleia de Deus no petrolão, diz Crivella



O escândalo desvendado pela Operação Lava-Jato trouxe à tona depósitos feitos por um dos envolvidos no esquema em uma conta bancária de uma filial da Assembleia de Deus Ministério Madureira em Campinas (SP), que supostamente, repassaria os valores ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, comentou os escândalos de corrupção na Petrobras e criticou a atuação da imprensa, que estaria trabalhando em bases preconceituosas contra os evangélicos no noticiário.
Para Crivella, a postura da imprensa ao noticiar o fato e as investigações “estigmatiza o Brasil de país essencialmente corrupto, com instituições displicentes, despreparadas, incompetentes e, talvez, coniventes”, e reclama que há exagero na atenção da mídia ao caso: “Para manter a atenção da população, parte da imprensa brasileira eleva o tom, o que lhe faz correr o risco de resvalar para a intolerância, a truculência e as insinuações”, escreve o senador, em artigo publicado pelo jornal Folha de S. Paulo.
No texto, Crivella classifica a imprensa como “máquina de moer reputações” e acusa a mídia de “envolver a igreja Assembleia de Deus na Operação Lava Jato por ter, supostamente, recebido propina”.
“Entre as pessoas comprovadamente envolvidas nos crimes, há praticantes das mais diversas religiões, sem que isso – felizmente – tenha sido objeto de interesse. As igrejas que eles frequentam – felizmente – nunca foram objeto de interesse jornalístico”, pontua o senador, antes de fazer referência a Cunha, sugerindo que há perseguição contra o parlamentar, que é membro do Ministério Madureira: “No caso de um personagem evangélico, porém, foram publicados o nome e a fotografia da igreja, assim como a identidade de seus dirigentes. Repórteres fizeram plantão em frente a um local de culto”, critica.
fonte: gospemais
veja: noticia completa em 
Google Plus
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário